logo

Conecte conosco

Governo do Tocantins licencia atividade mineradora que irá gerar mais de 3 mil empregos em Almas

Com a liberação do licenciamento ambiental do Naturatins, mineradora Aura Minerals lança a pedra fundamental do Projeto Almas

O lançamento da pedra fundamental da mineradora Aura Minerals no município de Almas ocorreu nessa quarta-feira, 8. Na ocasião, o Governo do Tocantins por meio Instituto de Natureza do Tocantins entregou a licença de implantação da atividade para a empresa. O evento contou com a presença do governador do Estado do Tocantins, Wanderlei Barbosa e do presidente do Naturatins, Renato Jayme.

A Aura Minerals é uma mineradora canadense com foco na exploração, desenvolvimento e operação de projetos de ouro, cobre e outros metais nas Américas. No Brasil, a companhia possui as subsidiárias, Mineração Apoena, que opera a mina de ouro São Francisco, no Mato Grosso e a Mineração Vale Verde, responsável pelo projeto de cobre e ouro Serrote da Laje, em Alagoas.

O presidente do Naturatins, Renato Jayme, falou durante o evento sobre a agilidade e empenho que o Instituto tem tido para a liberação das licenças ambientais em 2021, “Por meio dessas minutas de licenciamento das atividades, conseguimos um tempo Satisfatório viabilizar esses empreendimentos no Tocantins, esse hoje que é a mineradora, mas também temos trabalhado para agilizar para outros empreendimentos. Nosso índice de tempo médio de entrega de licenças em 2021 tem sido de 36 dias, então é isso que a gente tenta fazer para atender todos os setores, principalmente naqueles setores que geram mais empregos. Essa entrega dessa licença hoje representa para o estado do Tocantins uma oportunidade que traz um grande empreendimento”.

Estima-se que o empreendimento em Almas trará muitos benefícios ao Estado do Tocantins, prevendo um grande desenvolvimento da região. O projeto priorizará a contratação de mão de obra local e do Estado, estimando a geração de em torno de 1,6 mil empregos diretos e indiretos, contando com as etapas de construção e 3 mil empregos diretos e indiretos, contando com a etapa de operação.

Para o Governador do Estado do Tocantins, Wanderlei Barbosa, a instalação da mineradora será muito importante para o fortalecimento da região sudeste do Tocantins, “essa é uma empresa que vai se instalar no estado, ela vai levar dividendo aos nossos cofres e vai transformar isso em benefícios para a nossa sociedade. A mineradora trará geração de muitos empregos, o fortalecimento econômico do município de Almas, da região sudeste e também do Tocantins”. O Governador Também ressaltou a importância da celeridade do processo de licenciamento, “O Governo sabe das responsabilidades ambientais que temos, nós vamos cobrar tudo isso das pessoas que estão fazendo investimentos, mas temos que destravar o Estado, as pessoas precisam ser licenciadas para trabalhar, tanto no setor produtivo como no setor industrial. Nossa orientação é que sejamos rápidos e eficientes tanto na manutenção do meio ambiente, mas como também no crescimento produtivo”, concluiu o Governador.

 

Projeto Almas

O Projeto Amas, é um projeto de ouro disseminado em três áreas separadas de mineração a céu aberto que possui um grande potencial econômico. Os três principais depósitos de ouro do Projeto, Paiol, Cata Funda e Vira Saia, estão ao longo de um corredor de 15 km de extensão do chamado Almas Greenstone Belt, que abriga inúmeras ocorrências orogênicas de ouro.  A princípio o Projeto Almas operará com a Mina Paiol, que já prevê estar produzindo 100% comercialmente, em outubro de 2022.

Assim, o projeto movimentará a economia local, que atualmente é concentrada em agricultura e garimpo, dinamizada em outros setores, como comércio, serviços, setor imobiliário, construção civil. Em consequência, ocorrerá um aumento da renda média local com a movimentação do comércio regional que gerará mais arrecadação de impostos.

Outro benefício que o empreendimento gerará para o Estado, será o investindo na capacitação da mão de obra local por meio de parceria com Senai e instituições de ensinos técnicos, e no desenvolvimento de empresas locais para o fornecimento de serviços especializados para mineração, como mecânicos, pedreiros, técnicos em mineração, operadores de máquinas, motoristas de caminhões, soldadores, caldeireiros, auxiliares de laboratório, etc. Além do lucro da exploração ser revertido em investimentos para o estado e região.

O Presidente e CEO da Aura Minerals no Brasil, Rodrigo Barbosa, destacou o potencial do Projeto Almas para o Tocantins, “O Projeto Almas simboliza o investimento de uma empresa internacional que está no estado a mais de 10 anos fazendo pesquisa, e inicia agora a sua construção. O projeto simboliza o potencial que o estado do Tocantins tem no seu desenvolvimento da mineração particularmente de ouro. Está situada num ponto de vista geológico numa região que pode potencialmente ter umas das maiores minas de ouro no mundo. E isso a gente só vai descobrir e entender melhor a medida que a gente avançar no projeto e também trazer outros investidores e outras empresas para investir no estado”.

A implantação do projeto é um investimento de R$ 375 Milhões e nos sete primeiros anos de operação, prevê um orçamento médio anual de R$ 178 milhões. Com uma vida útil estimada em 16 anos, a mineradora estima uma arrecadação de R$ 80,3 milhões para o município de Almas (CFEM e ISS) e de R$ 30,3 milhões para o estado do Tocantins (CFEM e o pagamento de royalties pela produção a Mineratins) no período.

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não a do Portal do Amaral. Compartilhe suas opiniões de forma responsável, educada e respeitando as opiniões dos demais, para que este ambiente continue sendo um local agradável e democrático. Obrigado.