logo

CIADSETA, 71 Anos de História 33° Assembleia Geral Ordinária (AGO) da CIADSETA PA/MT

Pastor Possidônio Martins Reis – Presidente da Convenção Estadual CiadSeta PA/MT

CIADSETA PA/MT, Quem Somos

Armando Chaves Cohen, consagrado a Evangelista aos 31/03/1947. Enviado pela Assembleia de Deus de Belém, Pará aos 08/04/1947, para fundar a Assembleia de Deus em Carolina – MA, sendo empossado no mesmo dia, pelos pastores: Israel Oliveira de Lima, da Assembleia de Deus em Tocantinópolis – GO (TO) e Alcebíades Pereira de Vasconcelos da Assembleia de Deus em Marabá-PA.

Certo dia foi surpreendido por uma visita do Missionário João Jonas, acompanhado de alguns irmãos e do Diácono Severo Bispo representado os demais 88 crentes, e na oportunidade transferiu-os para os cuidados pastorais do Pr. Cohen, solicitando que cuidasse d’aqueles irmãos.

No dia 25 de abril de 1948 foi inaugurado o templo da Assembleia de Deus em Carolina-MA, cuja festa foi seguida pela PRIMEIRA CONVENÇÃO, com a presença do Pr. José Menezes, representando o ministério de Belém-PA e diversos obreiros que cooperavam com o Pastor João Jonas no sertão maranhense.

A convenção consistiu-se de Estudos Bíblicos e no assentamento das bases do trabalho evangélico na região, (sem esquecer que em Tocantinópolis já havia uma Igreja organizada, ligada à Belém, fundada em junho de 1941, pelo Missionário João Felix da Silva, enquanto no sertão Maranhense já havia congregações em várias localidades e obreiros locais instituídos pelo Missionário João Jonas), cujas localidades, igrejas e obreiros vieram ser as bases estruturais da consolidação do SETA.

Pr. Joás Possidônio Alves Martins – 1° Secretário da Convenção

Logo que passou a Convenção, em 1948, o Pastor Armando Chaves Cohen de Carolina com o Pr. José Vicente de Tocantinópolis, foram a um culto na congregação em Babaçulândia, onde pernoitaram, e o Pastor Cohen teve um sonho/revelação. Olhe o que o Pastor Cohen escreveu: A convite do Pastor José Vicente da Silva nos reunimos em nossa Congregação de Babaçulândia, onde tivemos um sublime culto e pernoitamos na casa do irmão Raimundo Luz, daquela congregação; dormi tranquilamente e tive uma verdadeira revelação: “Sonhei que viajava pelo rio Tocantins e pelo rio Araguaia, evangelizando; a embarcação era nossa e alguém me dizia: “Este trabalho precisa ser feito por você, veja bem e anote os nomes de cada lugar.” Pela manhã descrevi o sonho ao Pastor José Vicente e ao irmão Raimundo Luz e como nada podíamos fazer nem comentar, apenas oramos, e entregamos ao Senhor a solução do problema”.

Aos 25 de abril de 1949 foi realizada a SEGUNDA CONVENÇÃO, sob a Presidência do Co-Pastor de Belém, Pastor Francisco Pereira do Nascimento, quando foram consagrados alguns obreiros com a autorização do Missionário João Jonas; na oportunidade foi transferido o Pastor Tibúrcio Vieira de Inhuma-MA para substituir o Pastor José Vicente em Tocantinópolis.

Dos dias 15 a 21 de novembro de 1950 foi realizada a TERCEIRA CONVENÇÃO, novamente sob a presidência do Pr. Francisco Pereira do Nascimento, nesta foi informado sobre o retorno do Pr. Cohen para Pastor auxiliar em Belém do Pará, onde permaneceu até 11 de dezembro de 1952, depois que a convenção em Belém decidiu por unanimidade, pela criação e fundação do: Serviço de Evangelização dos Rios Tocantins e Araguaia – S.E.T.A.

A CRIAÇÃO E FUNDAÇÃO DO SERVIÇO DE EVANGELIZAÇÃO DOS RIOS TOCANTINS E ARAGUAIA – SETA

Relata-nos o Pastor Armando Chaves Cohen: Quando em julho de 1952, sob a presidência do irmão Nelson, se realizou a convenção estadual de Belém, e veio a plenário o assunto da evangelização dos rios Tocantins e Araguaia, sobre o qual eu havia descrito ao irmão Nelson, muitas explicações foram-me solicitadas pelos convencionais, o que atendi com toda a presteza. Contei como o Senhor me revelou a necessidade desse trabalho em 1948, numa noite em que dormia na casa do irmão Raimundo Luz, em Babaçulândia, Goiás, estando eu para seguir com o Pastor José Vicente da Silva em uma viagem de visita à nossa pequena Congregação no Lontra, hoje Araguaína. Disse também de como senti confirmação do que havia mostrado o Senhor, o que me levara a anotar o nome de todas as cidades, vilas e lugarejos localizados à margem dos dois rios da região, que se mostrava extremamente carente de alguém que lhe levasse a Palavra de Deus. Os convencionais demonstraram plena satisfação ao ouvir o meu relatório e logo, unânimes, disseram: “Ninguém melhor que o irmão para atender a este trabalho”. Assim, ficou aprovado a criação de um Serviço de Evangelização nos moldes como foi apresentado, com a minha designação para dirigi-lo. Para tanto, eu deveria voltar para Carolina, Maranhão, e assumir o pastorado da Igreja, que ficara como Sede deste Serviço.

Momentos durante a 33ª AGO em Redenção – PA

No dia 12 de dezembro de 1952, eu e mais quatro filhos: Walmir, Jocab, Jaime e Samuel, com o Evangelista Jairo Saldanha de Oliveira viajamos em um motor da linha com destino a Marabá, donde íamos nos encontrar com o irmão Carlos para recebermos o motor que já estava pronto.

O dia 14 de dezembro era domingo e combinei com o Pastor Malaquias Furtado, que era o Pastor em Marabá, para na tarde daquele dia inaugurarmos o motor, que já estava pronto, bem aparelhado e com toda a nossa bagagem de mudança para Carolina a bordo. O culto de inauguração foi na praia, em frente à cidade de Marabá, onde diante de toda a Igreja reunida, dedicamos ao Senhor aquele motor, com o nome de “Evangelista I”, e estabelecemos o Serviço, que tomou o nome de: Serviço de Evangelização dos Rios Tocantins e Araguaia – S.E.T.A.

Dia 15 de dezembro de 1952, às seis horas da manhã, depois de termos orado ao Senhor, com o Pastor Malaquias e outros irmãos que estavam no momento, largamos os cabos do motor e rumamos com destino a Carolina. Éramos (10) dez pessoas a bordo: eu, meus quatro filhos, o Evangelista Jairo Saldanha de Oliveira, o Missionário Carlos Hultgren, o Presbítero Daniel Gomes da Silva, de Belém, o motorista, irmão Raimundo Luz, e o piloto, que não era crente. Às três primeiras horas de viagem correram muito bem, estávamos subindo o rio Tocantins, dentro da cachoeira “Mãe Maria”, que não é muito perigosa, mas requer cuidado com a navegação. O piloto ia sempre aproveitando as “sombras” das pedras, devido ao remanso, para poder adiantar a viagem. Assim íamos vencendo a correnteza lentamente, mas, ao escalar um local conhecido como “pedra do padeiro”, o motor levou uma “tapa” na proa, causado pelo fio veloz e forte de uma correnteza, e não aguentou, adernando muito para a direita, enchendo de água. Não houve jeito, estávamos naufragando e, o Jaime dormindo sobre a mala. Jaime, um menino forte, cheio de vida, com nove anos de idade, foi o holocausto que Deus tomou para si, como oferta à grande obra de Evangelização dos Rios Tocantins e Araguaia – SETA, foi também o dízimo dos filhos que Deus me deu. Na tarde daquele dia, na sala de jantar, eu, o irmão Daniel e o irmão Carlos nos reunimos em torno de uma mesa e tivemos uma conversa franca, na qual me disseram: Quer dizer, irmão Cohen, que agora vamos voltar para Belém e que o irmão continuará lá o seu ministério, visto não haver dado certo aquilo que pretendíamos? Negativo, respondi. O chamado por Deus para esta obra sou eu e, portanto, devo continuar. Isto que me aconteceu foi apenas uma prova para mim, dada por Deus, e se eu esmorecer e recuar diante dela, sei que não serei feliz em qualquer lugar em que me refugie, mesmo em Belém, onde sei que a Igreja me ama e ninguém se oporia a que eu voltasse, a partir do Pastor Francisco Pereira como os irmãos sabem. Escutem, prossegui: depois de amanhã haverá avião e nós três viajaremos para Belém, com o objetivo de levar a notícia à Igreja e à minha família. Meus três filhos e o irmão Jairo ficarão aqui em Marabá, até o dia 31, quando eu e os demais membros de minha família voaremos de Belém pela Cruzeiro do Sul e os apanharemos aqui, e seguiremos todos para Carolina, para iniciarmos o trabalho justamente no dia primeiro do novo ano.

Momentos durante a 33ª AGO em Redenção – PA

Foi uma grande festa a nossa chegada, a Igreja, liderada pelo Pastor Antônio Pereira Rêgo, esperava-nos no aeroporto, inclusive com um bom grupo de amigos que foram saudar-me com bem-vindo. No culto à noite, houve a cerimônia de minha posse substituindo o Pastor Rêgo, que foi transferido para a cidade de Grajaú, Maranhão. Então, disse ao irmão Jairo, o companheiro na minha odisseia: Companheiro, o Senhor permitiu-nos voltar assim, creio, com o propósito de mostrar-nos que deveríamos evangelizar primeiramente a cidade com toda a eficiência. Vamos sair em campo e agir, visitando casa por casa, fazendo tudo o que pudermos fazer. Assim foi durante o ano 1953. Os nossos cultos no templo passaram a ser concorridos e muitas almas aceitaram a Jesus, o Senhor derramou um grande avivamento, curando e batizando no Espírito Santo e salvando uma boa mocidade, que brilhou na Igreja.

A PRIMEIRA CONVENÇÃO DO SETA: JULHO DE 1953

Ainda naquele ano, no mês de julho (não lembro a data), tivemos a nossa Convenção Regional, a qual foi denominada: Convenção Regional do Serviço de Evangelização dos rios Tocantins e Araguaia – SETA, com sede em Carolina, Maranhão. Estiveram presentes o Pastor Francisco Pereira do Nascimento, que foi eleito Presidente da Convenção, Missionário Carlos Hultgren e Presbítero Daniel Gomes da Silva, ambos de Belém, e todos os obreiros que já cooperavam na Região. Muitos assuntos foram tratados, dentre eles as providências necessárias ao reinício do trabalho evangelístico ora organizado, do qual eu era o encarregado. Ficou conhecida a área que compreendia o SETA: 1 – Todas as cidades ribeirinhas do rio Tocantins a partir da confluência deste com o rio Araguaia em ambas as margens, até Porto Nacional, onde já trabalhava o Evangelista Abel Gomes da Rocha; 2 – Todas as cidades ribeirinhas do Rio Araguaia, desde a confluência dos rios, até onde fosse possível alcançar; 3 – As áreas respectivas onde estão sediadas estas cidades, inclusive o sertão onde não havia outra Assembleia de Deus.

Pr. Rui Amaral ao lado do Pr. Carvalho Junior mestre das escrituras Campinas – SP.

As igrejas do SETA naquela época, eram: Carolina, Porto Nacional, Tocantinópolis e Imperatriz, no rio Tocantins; Araguaína, no sertão goiano; Sucupira do Norte, Grajaú, Amarante do Maranhão e São Pedro dos Crentes, no sertão maranhense, nove Igrejas ao todo.

A SEGUNDA CONVENÇÃO DO SETA: JULHO DE 1954

No período de 21 a 27 de julho de 1954, realizamos a segunda convenção do SETA e, desta vez, estiveram presente o Pr. Francisco Pereira e Missionário Carlos Hultgren, de Belém, o Presbítero Luiz de França Moreira, de Marabá, o Missionário Normando Anderson, nosso cooperador, e demais pastores evangelistas, presbíteros e diáconos da região. O Pr. Francisco Pereira foi eleito o Presidente da Convenção, mais uma vez, e os trabalhos foram realizados num clima de perfeita ordem e paz. O Pr. Francisco Pereira apresentou um glorioso estudo bíblico e depois apresentei o meu relatório de tudo quanto foi realizado no interregno convencional. A convenção reconheceu o estabelecimento das catorze novas igrejas, são elas: Panela de Ferro, Piriá, Babaçulândia, Itaguatins, Xambioá e Santa Maria no estado do Tocantins (antes Goiás); Clementino, São João do Paraíso, São Domingos do Azeitão, São Raimundo das Mangabeiras, Montes Altos e Santo Antônio das Balsas, no sertão maranhense.

A TERCEIRA CONVENÇÃO DO SETA: JULHO DE 1955

No mesmo período, 1955, tivemos a terceira convenção com os mesmos obreiros presentes. Tudo ocorreu muito bem, o Pr. Francisco Pereira ministrou estudos bíblicos e a festa prosseguiu normal, quando o Pastor Pereira me chamou à parte para conversarmos, e foi logo dizendo: “Cohen, temos que diminuir os dias da Convenção; e você vai comigo a Teresina, para resolvermos um grave problema. O irmão Nelson deu esta ordem; e se for preciso você fica em Teresina. Foi uma grande surpresa para os convencionais. A festa perdeu a graça, porque todos choravam e reclamavam, especialmente, porque estava destinado para eu ficar em Teresina-PI.

OBS: Desde o início em 1947, envolvendo a data de sua fundação no ano de 1952, até agosto de 1966, o SETA, funcionou sob a presidência do Pastor da Igreja Evangélica Assembleia de Deus, em Belém-PA, mas pela proposta do Pastor Presidente da Assembleia de Deus em Belém e também do SETA, Pastor Alcebíades Pereira Vasconcelos, de comum acordo com todos os Obreiros, reunidos na 9ª AGO do SETA, em 01/09/1966, na Cidade de Imperatriz – MA, foi eleita a primeira diretoria por Obreiros exclusivos da Região do SETA. Assim, o Pastor Alcebíades Pereira Vasconcelos, deu ao SETA a sua emancipação Administrativa, elegendo a sua primeira Diretoria Regional, composta por cinco membros titulares.

Presidente – Pr. Luiz de França Moreira;

Vice-Presidente – Pr. Antenor Vital Cantaneide;

1º Secretário – Pr. Jairo Saldanha de Oliveira;

2º Secretário – Pr. Raimundo Nonato da Rocha;

Tesoureiro – Pr. Francisco Bueno de Freitas;

Pr. Rui Amaral ao lado do Pr. Antônio de Jesus Dias – GO

Os pastores que presidiram a Convenção CIADSETA foram: Pr. Francisco Pereira do Nascimento 1953 – 1957; Pr. Luiz de França Moreira 1957 – 1983; Pr. Francisco Bueno de Freitas 1983 – 1987; Pr. Sebastião Andrade 1987 – 1995; Pr. Pedro Lima 1995 – 2003.

Durante a realização da 34ª AGO, que ocorreu em Imperatriz – MA, foi concretizado o projeto de desmembramento de duas Convenções, e no dia 25 de julho de 2003, o Sr. Presidente, Pr. Pedro Lima Santos, sob direção de Deus e sentindo a necessidade de expansão da obra, por iniciativa própria, deu autonomia a convenção no Sul do Maranhão, com o nome de CIADSETA-MA/CE, e no sul do Pará e oeste do Mato Grosso, com o nome CIADSETA-PA/MT.

O Pr. João de Deus Mariano Campos assume interinamente a CIADSETA PA/MT por cerca de seis meses, quando o então Pr. Possidônio Martins Reis assume a presidência da mesma em dezembro 2003 permanecendo até atualmente; visando o crescimento do reino, Pr. Possidônio e a mesa diretora, com o lema valorizando o obreiro e construindo a paz, começa a fazer uma grande revolução, expandindo a área de abrangência da Convenção que contava com apenas 52 igrejas sedes, hoje, com dezesseis anos de emancipação, através de um trabalho sério e compromissado com a ortodoxia bíblica, a CIADSETA PA/MT já soma mais de 153 campos de atuação, 14 áreas de supervisão e mais de 1.600 convencionais devidamente registrados em seu rol de membros.

Dos dias 28 de novembro ao dia 1 de dezembro de 2019, aconteceu em Redenção-PA a 33º AGO da CIADSETA-PA/MT que tinha como tema: Valorizando o Obreiro e Construindo a Paz, onde, os Ministros Oficiais foram:

Momentos durante a 33ª AGO na cidade de Redenção – PA

Pr. Joás Possidônio de Redenção-PA, 1º Secretario da CIADSETA PA/MT que trouxe uma palavra muito edificante baseada em Fp 4.11-13, embasado no tema falou sobre as lagrimas, noites e compromissos com Deus para se obter o ministério que o próprio Senhor concedeu, e agora, atente para o ministério que Ele te confiou, enfrente, seja forte, lute, chore, pois, o Apostolo Paulo também enfrentou muitas adversidades e nem a fome, adversidades, presente, futuro, perigo, espada e outros podem nos separar do amor de Deus! – Não sofra a síndrome do século XXI em se tornar vítima das misérias que aparecem na vida, a síndrome de inferioridade tem gerado “vitimismo” em muitos que foram vasos de honra nas mãos do mestre. Um obreiro não pode se comparar a um cão morto, conforme Mefibosete, Pr. Joás estimula os ministros a pensarem nas coisas que são de cima e entenderem que somos “filhos do Rei, temos sangue azul” fomos escolhidos para uma grande obra e tudo posso naquele que me fortalece!

Ainda foram oficiais Pr. Antônio de Jesus Dias de Goiânia-GO e Pr. Carvalho Junior de Campinas-SP, ambos, com muita propriedade e graça ministraram a mensagem do evangelho de Cristo, levando a plenária presente há um momento de muita adoração.

Pr. Rui Amaral ao lado do Pr. Alexandre Gomes. 

Foram quatro dias de mover sobrenatural, onde Deus falou poderosamente; na ocasião 22 obreiros foram ordenados a Pastor, 31 a evangelistas e foram recebidos 3 oriundos de outras convenções, também foi criada a 14º área de supervisão com sede em Itaituba-PA, foi emancipado um novo campo de trabalho e nos expedientes foram homologadas 4 transferências de Pastores.

Pr. Possidônio Martins Reis Presidente da CIADSETA PA/MT ministrou um momento de Palavra lembrando do que disse Paulo em I Tm 4.16 : Tem cuidado de ti mesmo; em ato contínuo, orientando os ministros a falarem, portarem e agirem como homens de Deus, orientou a termos cuidado com as “oferendas” do inimigo para nos tirar da presença do Pai, lembrou que muitos foram envergonhados na trajetória por brincarem com o pecado, pois os fiéis despenseiros devem ser irrepreensíveis, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar I Tm 3.2, pois, a obra não pode parar e Deus nos escolheu para darmos frutos que permaneça, logo após, Pr. Possidônio  celebrou com muita maestria a Santa Ceia do Senhor, onde, em torno de 1300 convencionais e esposas participaram, foi um momento de muita adoração, lágrimas e a poderosa presença de Deus se manifestou tremendamente no ambiente.

A finalidade deste Artigo é apenas em fomentar a cultura religiosa, a história e o legado durante tantos anos pregando o genuíno evangelho nas regiões Sudeste do Pará e Oeste do Mato Grosso.

Por Pr. Rui Amaral (Presidente da Secretaria de Educação e Cultura da CIADSETA PA/MT)

Pr. Rui Amaral tem oito livros publicado, sendo: “Em nome do Amor, Ministro e Ministério, História da Assembleia de Deus de São Geraldo – O Jubileu de Ouro, História da Assembleia de Deus de Piçarra – 40 Anos de História, Ferramenta, Vivendo em Harmônia, A Excelência da Vida a Dois, e Alto Nível”.

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não a do Portal do Amaral. Compartilhe suas opiniões de forma responsável, educada e respeitando as opiniões dos demais, para que este ambiente continue sendo um local agradável e democrático. Obrigado.