logo

De Norte a Sul do estado do Tocantins, evangélicos e católicos se uniram para eleger Eli Borges Deputado Federal

De acordo o que está sendo percebido, os cristãos querem dar a maior votação no Estado para Eli Borges: “Estamos na expectativa que ele venha ter mais de 70 mil votos no Estado”, disse Davi Gomes, aliado de Eli Borges.

Após vários anos sem representação do segmento evangélico na Câmara dos Deputados, o Tocantins poderá ter novamente um representante da classe em 2019 em Brasília. É que no Tocantins, diversas denominações cristãs têm se unido em torno de um pastor assembleiano, e o escolhido foi Eli Borges (SD), conhecido por combater a ideologia de gênero na Assembleia Legislativa e alertar a população por meio de palestras em diversas igrejas, tanto católicas, quanto evangélicas, das leis que podem infringir a liberdade religiosa, a igreja, a família e os valores tradicionais.

Para que isso venha lograr êxito, pastores, padres, evangélicos e não evangélicos, e simpatizantes têm se reunido de norte a sul do Tocantins, de forma voluntária, trabalhando para eleger Eli Borges como deputado Federal.

De acordo o que está sendo percebido, os cristãos querem dar a maior votação no Estado para Eli Borges: “Estamos na expectativa que ele venha ter mais de 70 mil votos no Estado”, disse Davi Gomes, aliado de Eli Borges.

Entre as igrejas que estão apoiando o parlamentar, estão as convenções Ciadseta –TO, Coimadetins, Cadetins e CONEMAD-TO, Igrejas Batistas, Igrejas de Cristo, entre outras.

Em 2015, Eli Borges apresentou uma moção de repúdio em desfavor da Rede Globo, por promover beijo gay entre as atrizes Fernanda Montenegro e Natalia Timberg, veiculado na novela Babilônia. Na ocasião, a AL-TO aprovou a Nota de Repúdio do parlamentar.

Devido a sua propositura, diversos manifestantes da causa LGBT realizaram um “beijaço”, em seu gabinete em protesto contra a aprovação da moção de repúdio.

Segurando cartazes, os manifestantes na época, gritavam palavras de ordem como “beijo homem, beijo mulher. Tenho direito de beijar quem eu quiser”, gritaram.

Já o deputado Eli Borges afirmou na ocasião, que: “não estou arrependido da minha moção. Defendo o maior patrimônio que é a família, e o pudor. Continuo defendendo que o sistema televisivo brasileiro precisa trabalhar com pudor. Em nenhum momento disse que eles não têm direito a beijar quem quiser, ou fiz desrespeito a qualquer cidadão. Mas o deputado Eli Borges tem direito a opinião. E a minha opinião é que a intimidade deve ser vivida na intimidade”.

Beijaço Gay no Gabinete do Deputado Eli Borges no Tocantins – Foto: Crédito: Ricardo Costa -JM Notícias

 

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não a do Portal do Amaral. Compartilhe suas opiniões de forma responsável, educada e respeitando as opiniões dos demais, para que este ambiente continue sendo um local agradável e democrático. Obrigado.