logo

Polícia Civil prende suspeito de comércio ilegal de combustíveis e uso de documento falso no sul do Estado

Procurado pela Justiça em Goiás, homem estava em posse de centenas de litros de combustíveis para revenda em sua residência

Policiais Civis da Delegacia de Peixe, coordenados pelo delegado João Paulo Sousa Ribeiro efetuaram, na tarde desta quarta-feira (12), na zona rural daquele município, a prisão de um indivíduo de iniciais A.S.S.B., de 40 anos, pelos crimes de comércio ilegal de combustível e uso de documento falso.

Conforme o delegado, o homem estava foragido da unidade prisional de segurança máxima de Formosa, no Estado de Goiás, desde o ano de 2017. Dessa forma, o Poder Judiciário do Estado vizinho expediu mandado de prisão e solicitou apoio da Polícia Civil do Tocantins, que conseguiu localizar o paradeiro do fugitivo em um Distrito Municipal, localizado a cerca de 120 km da sede do município de Peixe (TO), localidade conhecida como Vila São Miguel ou como região da Agropig.

No momento da captura, a equipe de policiais tocantinenses se deparou com um verdadeiro ponto comercial de venda ilegal de combustíveis na residência do fugitivo, com dezenas de tambores, galões e garrafas pets, alguns já vazios e outros ainda contendo combustível. Foram apreendidos cerca de 300 litros de gasolina armazenada de forma irregular, bem como a quantia de R$ 1.568,00 (mil quinhentos e sessenta e oito reais), em dinheiro.

Na delegacia, A.S.S.B negou a prática ilegal de venda de combustível, alegando que a gasolina encontrada era para o seu uso próprio. No entanto, no local existia inclusive um anúncio visível fixado na parede com os dizeres: “Temos Gasolina”. Além de ser atuado em flagrante pelo crime de venda ilegal de combustível, o homem ainda se identificou com um documento de identidade falso, motivo pelo qual também foi autuado pelo crime de uso de documento falso.

 Após a lavratura do procedimento policial, A.S.S.B foi encaminhado para a Cadeia Pública de Peixe/TO, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário do Tocantins e também do Estado de Goiás.

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não a do Portal do Amaral. Compartilhe suas opiniões de forma responsável, educada e respeitando as opiniões dos demais, para que este ambiente continue sendo um local agradável e democrático. Obrigado.