logo

Com alunos de olho na Cartilha, Corregedoria encerra o “Justiça e Cidadania Aprendem-se na Escola” na ETI Fidêncio Bogo, em Taquaruçu Grande

A Justiça tocantinense chegou pertinho de vários alunos da rede pública municipal do Estado do Tocantins, que tiveram uma experiência única durante o Programa Justiça e Cidadania Aprendem-se na Escola. Os magistrados visitaram ao todo 32 escolas durante os meses de fevereiro e março, entregando a Cartilha da Justiça. O encerramento do projeto ocorreu na manhã desta quarta-feira (11/03), no Escola de Tempo Integral Fidêncio Bogo, localizada na região de Taquaruçu Grande.

A cada visita, os magistrados e demais equipe da Corregedoria Geral da Justiça estadual aproveitavam para divulgar as noções básicas de cidadania, o funcionamento e a finalidade da Justiça e ainda sanar as dúvidas que surgiam dos alunos do 5° e 6° ano. E desta vez, com três juiz auxiliares da Corregedoria presentes na escola, os alunos ficaram entusiasmados ao receberem a Cartilha da mão dos magistrados.

Para o juiz Gilson Coelho Valadares, coordenador da Coordenadoria de Cidadania, o projeto é de suma importância para que os mais jovens tenham conhecimento do que é cidadania e como a Justiça funciona. “Aprendemos muito com todas as crianças, sempre com perguntas tão significativas. E nós trouxemos até as escolas municipais noções elementares sobre a defensoria pública, advocacia, o trabalho exercido pelo promotor de justiça e também o exercício efetuado pelos juízes. Essa realidade ainda é muito distante da comunidade. Trabalhar para que os impactos disso sejam amenizados é o nosso papel.”

Segundo o juiz auxiliar Adonias Barbosa da Silva, as crianças, além de obter maior consciência política e cidadã, começaram também a ter esperança na mudança de vida por meio da educação. “Percebemos que o projeto despertou sonhos em todas as crianças. Em especial, ao estimular um maior interesse pelos estudos, pois apontamos os caminhos e as possibilidades de que esses alunos podem se tornar daqui a 30 anos”, ressaltou o magistrado.

Para a diretora da escola, Joselaine Quelli Fiametio, o tema vem com todo o embasamento legal e apresentado para as crianças de uma forma bastante simples. “O ensino é por meio de uma história em quadrinhos, desta forma é mais fácil a visualização e absorção do conteúdo da Cartilha. E entendemos que será um momento prazeroso de estudo e que também irá somar aos nossos projetos educacionais”.

Programa Justiça e Cidadania Aprendem-se na Escola 

O Programa busca orientar e contribuir para a formação de crianças como agentes multiplicadores de saberes, além de propiciar a integração entre o Poder Judiciário e a sociedade, permitindo que os magistrados conheçam melhor a realidade social por meio de uma inserção qualificada no cotidiano escolar.

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não a do Portal do Amaral. Compartilhe suas opiniões de forma responsável, educada e respeitando as opiniões dos demais, para que este ambiente continue sendo um local agradável e democrático. Obrigado.