logo

Dicas para vencer a obesidade

Figura 1 Photo by Mantra Media on Unsplash

A obesidade é considerada como um dos principais problemas da modernidade, se equiparando a outros quadros de doenças graves, como a depressão.

Pensando nisso, e em todos os problemas que envolvem o excesso de peso, você vai conhecer algumas dicas para vencer a obesidade de uma vez por todas.

Vamos começar?

Tudo começa com a alimentação:

Para começar essa lista de dicas de como vender a obesidade é começar a pensar em como você se alimenta.

Na maior parte das vezes, pessoas em sobrepeso ou obesidade tendem a comer muito, várias as vezes ao dia e ainda incluir lanches gordurosos em meio as refeições.

Como grande parte da gordura já está concentrada no tecido adiposo, a mudança só vai começar a acontecer quando você parar de ingerir grandes quantidade.

Pense que o seu metabolismo precisa de energia, que é conquistada através dos alimentos.

Ao reduzir a ingestão, você obriga o seu organismo a usar a energia armazenada, que são os quilos extras.

Isso não significa passar fome, ainda que possa parecer isso, mas sim investir em uma reeducação alimentar de qualidade.

Em outras palavras, você vai precisar trocar as comidas congeladas e processadas por versões mais naturais e magras.

Do mesmo modo, é preciso consumir mais vegetais, verduras, frutas e proteínas. Reduzindo e até eliminando os doces, frituras e refrigerantes.

 

Comece a exercitar aos poucos e aumente a intensidade:

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, não é necessário começar a eliminar o ganho de peso em excesso se exercitando todos os dias, correndo vários quilômetros.

Afinal, o corpo precisa de algum tempo para se adaptar as mudanças, saindo da zona de conforto.

Seguindo essa linha, a recomendação é começar com atividades mais leves, três vezes na semana, de acordo com a sua mobilidade.

Figura 2 Photo by Pursuing Lemons on Pinterest

Muitas vezes, os primeiros exercícios consistem apenas em mover os braços e pernas ou mesmo se alongar. Nos casos mórbidos.

Ao longo do tempo, você consegue ter mais fôlego para aumentar um pouco a intensidade, fazendo polichinelos, pequenas caminhadas ou até agachamentos.

Ou seja, é um trabalho constante.

Uma questão importante que deve ser pensada é que, alguns casos de obesidade, requerem cuidado maior, principalmente em relação a prática física.

Assim, se você tiver problemas cardíacos, de circulação, fizer uso de medicamentos ou dificuldade para respirar, sempre faça as atividades acompanhada de um profissional.

Para vencer a obesidade, é necessário o cuidado psicológico:

Não é segredo para ninguém que a obesidade, quase em 100% dos casos, está relacionada a traumas e outros tipos de problemas, sejam eles vindos da infância ou vida adulta.

Logo, uma série de pensamentos e emoções estão relacionadas a comida.

Frequentemente, o alimento é utilizado como um tipo de apoio emocional ou muleta.

Por exemplo, você come para suprir a necessidade de afeto, o luto, os traumas e abusos ou mesmo para se sentir feliz, já que sua autoestima está baixa.

Portanto, é extremamente importante que você não pense no ganho de peso em excesso apenas como um descuido, mas sim como um tipo de transtorno.

Sendo assim, é preciso cuidar da sua mente para evitar possíveis recaídas ou mesmo pensamentos negativos e autocrítica em excesso.

Não à toa, é fundamental ter o acompanhamento de um terapeuta ou psicólogo durante todo o processo de perda de peso. A longo prazo.

Converse com as pessoas que fazem parte da sua vida:

Figura 3 Photo by Priscilla Du Preez on Unsplash

Para finalizar essa lista de dicas para vencer a obesidade, você precisa pensar nas pessoas que formam o seu convívio social e que impactam nos seus resultados, sejam amigos ou familiares.

Nesse sentido, é preciso ter uma conversa aberta e sincera com essas pessoas, para conseguir controlar mais facilmente a sua rotina e, principalmente, aquilo que você come.

Ou seja, pessoas que não apoiam e que estão sempre oferecendo tentações ou instigando você a abandonar o plano, devem ser cortadas da sua vida.

Afinal, quem quer te ver bem realmente vai apoiar essa mudança.

Dica de ouro

Muitas vezes, pacientes em quadros de obesidade já tentaram outros métodos de perder peso e acabaram desistindo ou não tendo o resultado esperado.

Quando isso ocorre, tanto as pessoas a sua volta como você passam a ser mais descrentes em relação a mudança.

Por outro lado, é sempre tempo de recomeçar e você pode começar isso agora, mesmo que existam obstáculos e falhas no caminho.

Sempre mantenha as recomendações do seu médico, converse com o seu terapeuta e aprenda que a sinceridade é o melhor caminho, tanto com você mesma como com as pessoas a sua volta.

Mesmo que demore meses e anos, você realmente é capaz de atingir os seus objetivos.

Redução de estômago – Quando isso pode ser necessário?

A redução de estômago é considerada como uma cirurgia necessária para muitos casos de obesidade, principalmente quando existe um risco para a vida do paciente ou o mesmo não consegue emagrecer por meios naturais.

Entretanto, não se trata de um procedimento recomendado para todos os públicos e cada caso deve ser avaliado por um profissional qualificado.

Figura 4 Photo by Freepik on Pinterest

Durante essa avaliação, vários são os exames que devem ser feitos para entender melhor o quadro.

Ao mesmo tempo, é preciso estudar o tipo de cirurgia de redução de estômago que será realizada, já que existe mais de um tipo.

Porém, é preciso ressaltar que esse tipo de procedimento não tem caráter definitivo.

Ou seja, mesmo fazendo a operação, é possível que você volte a engordar ou mesmo que tenha outros problemas de saúde.

Logo, todo paciente deve ser acompanhado de perto por, em média, três anos após a cirurgia.

Durante esse período, é recomendável a adaptação para um novo estilo devida, como reeducação alimentar e aumento de massa magra.

Também devem ser feitos exames de rotina, para garantir o controle dos níveis hormonais, glicose, colesterol e outros.

Então, não pense que a redução de estômago será a luz no fim do túnel, mas sim uma possibilidade a ser pensada.

Enfim, ficou com alguma dúvida?

Comenta aqui embaixo para que eu possa lhe ajudar ou compartilhe esse conteúdo e ajude outras pessoas.

Até o próximo post!

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não a do Portal do Amaral. Compartilhe suas opiniões de forma responsável, educada e respeitando as opiniões dos demais, para que este ambiente continue sendo um local agradável e democrático. Obrigado.