logo

Bolsonaro recebe Bancada Evangélica após aprovação da reforma da Previdência

Presidente voltou a falar sobre “ministro evangélico” no STF.

Um dia após a expressiva vitória na Câmara dos Deputados, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) recebeu deputados e senadores da Bancada Evangélica para um café da manhã no Palácio do Planalto.

O encontro desta quinta-feira (11) ocorre após o presidente reforçar o desejo de ter um ministro evangélico no Supremo Tribunal Federal (STF).

O deputado João Campos (PRB-GO), que participou do café, disse ao G1 que o presidente agradeceu o apoio dos parlamentares a reforma. O texto-base da proposta foi aprovado em primeiro turno com 379 votos favoráveis e 131 votos contrários, sendo que o mínimo era de 308 votos.

Bolsonaro participou do café com deputados e senadores da frente parlamentar evangélica acompanhado dos ministros Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo). Responsável pela articulação política do Planalto, Ramos é evangélico.

Apesar de ser católico, o presidente é casado com uma evangélica e recebeu forte apoio do segmento durante as eleições, já que defende uma agenda conservadora. Bolsonaro tem mantido uma relação de proximidade com lideranças cristãs.

Segundo o deputado João Campos, os evangélicos aproveitaram o momento com o presidente para garantir o compromisso da indicação de um representante do segmento no STF. Bolsonaro então teria garantido a efetivação desta indicação, sem mencionar nomes.

Em um culto com os parlamentares evangélicos na manhã de ontem, o presidente afirmou que o ministro indicado ao Supremo será “terrivelmente evangélico”.

Bolsonaro também participou de uma homenagem pela passagem do aniversário da Igreja Universal do Reino de Deus.

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não a do Portal do Amaral. Compartilhe suas opiniões de forma responsável, educada e respeitando as opiniões dos demais, para que este ambiente continue sendo um local agradável e democrático. Obrigado.