logo

Tocantins trabalha para descentralizar atendimento a pessoas vivendo com HIV/Aids

Aumentar o acesso e adesão dos pacientes que poderão fazer o tratamento em suas cidades e assim evitar a desistência que acaba acontecendo também pela distância e dificuldade de deslocamento é o objetivo da descentralização da  rede de atenção às ações de DST/HIV e Hepatites Virais que será desenvolvido, primeiramente, por meio de um projeto piloto no município de Porto Nacional.

Atualmente as Pessoas Vivendo com HIV/Aids (PVHA) fazem o teste na unidade básica de saúde e caso tenha um diagnóstico positivo é encaminhado para a atenção especializada, que tem unidades em Porto Nacional, Palmas, Araguaína, Paraíso e Gurupi, com assessoramento do Estado. “Com o avanço do cuidado e essas pessoas e com a simplificação do tratamento antirretroviral, a infecção pelo HIV foi apresentando características de uma condição crônica e o modelo centrado unicamente em serviços especializados passou a apresentar deficiências, por isso a necessidade da descentralização”, disse a enfermeira Caroline Biserra, da Gerência Estadual de DST/Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Estadual da Saúde, esclarece.

Segundo a gerente, a cidade de Porto Nacional tem um serviço especializado que é assessorado pelo Estado e este foi um dos critérios para que o município fosse escolhido. “Além disso, o interesse do gestor local tem sido fundamental. A secretária municipal de saúde foi muito receptiva e por isso estamos iniciando o processo. A Organização Pan Americana de Saúde (OPAS) vai nos ajudar e nossa intenção é expandir esse projeto para todo o Estado. Com essa descentralização vai acontecer primeiramente o manejo dos pacientes estáveis que vão fazer diagnósticos, acompanhamento. Caso haja alguma complicação eles serão encaminhados para os serviços de atenção especializada”, destacou.

Para a secretária de Saúde de Porto Nacional, Anna Crystina Mota Brito, a iniciativa é “algo que vai favorecer o acompanhamento desse público, com uma rede e vínculo dos pacientes na atenção básica, com a equipe da Saúde da Família. Isso trará mais qualidade de vida aos pacientes, ao mesmo tempo em que haverá um ganho da equipe multiprofissional das unidades que estarão atualizadas para atuarem com estes pacientes”, afirmou, acrescentando que a Prefeitura de Porto Nacional aprovou a proposta que contribuirá muito para a qualidade de vida da população local.

ParceirosComo funcionará

Com a descentralização, a linha do cuidado implica redirecionamento do processo de trabalho e das relações entre diferentes pontos de atenção que acontecem com o aval do Ministério da Saúde (MS), através do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Essa área em parceria com o Departamento de Atenção Primária visa a diminuição dos óbitos relacionados à Aids e outros agravos, a garantia de assistência às pessoas que vivem com a doença, a prevenção da transmissão vertical, o manejo no tratamento, descentralizando, o atendimento e melhoria do acesso ao diagnóstico. Para isso são realizadas ações contínuas de prevenção através de educação em saúde por meio da atenção primária, com respaldo das três esferas de governo.

Fonte:
Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não a do Portal do Amaral. Compartilhe suas opiniões de forma responsável, educada e respeitando as opiniões dos demais, para que este ambiente continue sendo um local agradável e democrático. Obrigado.