logo

Só em 2016 AAFETO capacitou quase mil mulheres em Palmas

As mulheres têm quebrado paradigmas, enfrentado preconceitos e conquistado espaços na sociedade, mercado de trabalho, política e inúmeros cenários, mas para muitas delas ser mãe e acompanhar de perto o desenvolvimento dos filhos continua sendo seu principal papel. Para apoiar essas guerreiras promovendo a elas uma alternativa de renda, o Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho e da Assistência Social (Setas) criou o Projeto Acreditando e Apoiando às Famílias Tocantinenses (Aafeto).

FOTO - CARLESSANDRO SOUZA - 4Apesar de ter sua proposta inicial ampliada e hoje atender pessoas de todas as idades e sexos, a Aafeto começou com o objetivo de incentivar as mulheres palmenses a desenvolverem sua criatividade com atividades artesanais como bordados, pinturas, corte e costura, além de cursos na área da beleza. Somente em 2016, o Projeto capacitou 806 pessoas. Para além dos cursos ofertados, em 2017, a AAFETO começou com novidades como o curso de Fibras Vegetais que trabalha elementos naturais a exemplo de palhas, cipós e caules de árvores.

Para a artesã, Waldiane Martins Silva, a Aafeto foi um grande incentivo para abraçar sua nova profissão. Sua segunda filha, hoje com três anos, sofre de problemas respiratórios e para cuidar mais de perto da menina Waldiane abriu mão de trabalhar fora, e decidiu com o apoio da Aafeto investir no patchwork.Atualmente ela produz kit bebê, cadernos decorados, bolsas, entre outras peças. “Muito do que sei sobre costura e artesanato em geral devo a Aafeto. São dessas técnicas que consigo minha renda”, declara a artesã.

Quem também percebe no artesanato a oportunidade de estar mais perto das filhas é a auxiliar de serviços gerais, Doralice Bonfim. Ela trabalha a noite em um restaurante de Palmas e durante o dia faz chinelos bordados, panos de prato, bijuterias e outros produtos para complementar a renda familiar e envolver as filhas em atividades saudáveis. “Sempre faço os cursos da Aafeto e incentivo as minhas filhas a também fazerem, porque elas aprendem um ofício, podem ganhar o próprio dinheiro e não precisam ficar na rua”. Explica a mãe. Doralice é mãe de Claralice Bonfim, 16 anos e Clarice Bonfim, 14, ambas alunas do curso de Fibras Vegetais oferecidos no núcleo da Aafeto, localizado no Aureny III em Palmas.

Clarice sempre gostou dos artesanatos em Capim Dourado e quando soube que a técnica seria ensinada na Aafeto com outros tipos de materiais não perdeu a oportunidade. “Acho importante ter um trabalho principalmente quando é algo que a gente gosta de fazer. Lá em casa todo mundo gosta”, diz a adolescente.

As pessoas citadas são exemplo de uma realidade das mulheres contemporâneas. “Como Estado, estamos potencializando o valor que cada mulher tem. Mostrando a elas uma nova perspectiva de vida, de geração de emprego e renda. O reflexo desse esforço pode ser percebido por esses casos”, disse a secretária do Trabalho e Assistência Social, Patrícia do Amaral.

AAFETO

O Aafeto possui três núcleos em Palmas localizados na 305 Norte, Aureny I e Aureny III. Os cidadãos interessados em participar das capacitações podem se direcionar as unidades do Projeto para realizarem uma pré-inscrição, sempre que fecham uma turma, dá-se início as aulas.

Contatos

Região Norte

End: quadra 305 Norte, alameda 02, lote 02. Telefone: (63) 32182051

Região Sul

End: Jardim Aureny I, quadra WS 01, rua Amazonas, esquina com rua Tefê. Telefone: (63) 3218-2047

Jardim Aureny III, quadra 170 A, avenida J, lote 14. Telefone: (63) 3218-1985 –

Fonte:
Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não a do Portal do Amaral. Compartilhe suas opiniões de forma responsável, educada e respeitando as opiniões dos demais, para que este ambiente continue sendo um local agradável e democrático. Obrigado.