logo

Projeto estruturante de desenvolvimento da Rodovia TO 500 – Travessia da Ilha do Bananal

Dois importantes eventos, capitaneados pelo Senador José Medeiros/MT ocorreram em Brasília, semana passada.

Na última quarta-feira dia (22), aconteceu uma audiência com o Ministro Max Beltrão, do Turismo, com a presença do Senador Medeiros e do Engenheiro Mazzaro, onde o senador, apresentou ao ministro mais alguns detalhes do “Projeto Turístico de Desenvolvimento Regional” o qual teve seu início em março deste ano.

Esse Projeto é uma consequência benéfica da eminente implantação da Rodovia TO-500 – Travessia da Ilha do Bananal, e que envolverá 17 municípios do MT e 19 do TO, em um total de 36, que serão diretamente beneficiados com os mais diversos projetos localizados, em cada um desses municípios.

Ainda com agendamento pelo gabinete do senador José Medeiros, no dia (24/11), ocorreu uma reunião técnica no Palácio do Planalto, com os engenheiros da coordenação da SPPI – Secretaria do Programa de Parcerias de Investimento: Henrique Pinto – Secretário de Articulação de Políticas Públicas; Tarcísio Freitas – Secretário de Coordenação de Projetos; Tatiana Oliveira – Diretora de Programa; José Rubens Mazzaro engenheiro e autor do Projeto da TO-500; Julio Calixto – Produtor Rural do Mato Grosso; Antonio Miranda – Vereador Presidente da UVNAX – União de Vereadores do Norte Araguaia e Xingu e da Câmara de São Felix do Araguaia/MT e José Roberto Seldrin – Assessor Parlamentar do Senador José Medeiros/MT.

Na ocasião foi feita a apresentação detalhada do Projeto da TO-500, com total apoio do Governo do Estado do Tocantins, das Deputadas Josi Nunes e Dulce Miranda, com vistas a dar subsidio à secretaria Geral da Presidência da República, do Ministro Moreira Franco, para providências autorizativas com o objetivo da implantação da tão sonhada TO-500 – Travessia da Ilha do Bananal.

Importante salientar, o total respeito a Comunidade Indígena (Javaés e Karajás) em que foi destacada na reunião, a obrigatoriedade do cumprimento de todas as Leis, Decretos e Portarias vinculadas ao assunto, bem como a OIT 169.

O Engenheiro Mazzaro destacou em entrevista, que após esses atos burocráticos serão feitas audiências Públicas, inicialmente com toda a Comunidade Indígena, para definição de todos os detalhes; Sociais, ambientais e econômicos, junto a essa comunidade. Destacou ainda, detalhes de um Projeto Estruturante de Desenvolvimento.

O que era inicialmente um simples Projeto Rodoviário se transformou, ao longo dos anos em um projeto de “Corredor de Exportação”, depois em um projeto de “Logística de Transporte Intermodal” (Ferrovia N-S), e finalmente em um “Projeto Estruturante de Desenvolvimento” de todo Centro-Norte do país.

Um Projeto dessa natureza reúne vários projetos funcionalmente vinculados, mas efetivamente soltos em um “Superprojeto”.

Superprojeto composto por Projetos de infraestrutura; Projetos produtivos; principalmente de uma malha fina de Estradas vicinais com Industrialização dos produtos agropecuários, com alta tecnologia; Ações integrativas catalisadoras do crescimento (educação, apoio ao empreendedorismo, infraestruturas urbanas (Turísticas, Mobilidade, Paisagísticos, Ambientais, Fiscais, etc.), que potencializa os efeitos de crescimento).

Estes Projetos juntos criam-se diversos efeitos positivos sobre a economia, com um melhor clima de investimentos, Geração de emprego e renda, Geração de fluxos necessários para a viabilização de infraestruturas, com isso Crescimento econômico geral e com Arrecadação fiscal para o Poder Público de forma a garantir a Sustentabilidade Fiscal.

Fonte: Assessoria
Jonas Amaral

Jonas Amaral – RP Nº: 911 – DRT / TO – Diretor Geral e Editor Chefe do Portal do Amaral – E-Mail: [email protected] – Tel. (63) 98471-7540 / 99975-7227

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não a do Portal do Amaral. Compartilhe suas opiniões de forma responsável, educada e respeitando as opiniões dos demais, para que este ambiente continue sendo um local agradável e democrático. Obrigado.