logo

Comerciantes criam promoções para estimular uso de moedas no TO

Muita gente já passou pela situação de estar fazendo compras e na hora de receber o troco faltar alguns centavos. Os atendentes na maioria das vezes oferecem balas, mas o consumidor não é obrigado a aceitar os doces ou qualquer outro tipo de mercadoria. Por causa disso, comerciantes de Araguaína, norte do Tocantins, criaram promoções para estimular o uso das moedas. 

Em 2016, o Banco Central do Brasil colocou 761 milhões de novas moedas no mercado e em 2017 foram mais de 86 milhões. Mesmo assim está difícil de encontrá-las. “Três centavos. Uma vez um cliente exigiu três centavos e a gente arrumou o troco para dar para ela”, comentou o gerente de supermercado João Passos.

Porém, na prática muitas vezes não há troco para oferecer aos clientes. “As moedas ficam em casa, as vezes não trocam ou colocam no cofre e termina que ficam guardadas”, disse.

Depois de episódios como esse, o supermercado criou a promoção ‘Troco Premiado’. A iniciativa funciona da seguinte forma: as moedas são trocadas por notas e o cliente ainda acumula pontos. A pontuação, por sua vez, pode ser trocada por prêmios como ingressos para o cinema, bonés e refrigerantes. Ou até por eletrodomésticos como secador de cabelos, tablete, microondas e TVs.

“Sempre a gente pega aquele troco, R$ 0,15, R$ 0,20. Juntando de pouquinho em pouquinho as moedas que a gente guarda sempre vale para alguma coisa”, disse um dos moradores de Araguaína, norte do Tocantins.

E a ideia de oferecer benefícios pelo uso das moedas está ficando cada vez mais comum. Em uma sorveteria da cidade, a cada R$ 50 de moedas trocadas o cliente ganha uma casquinha de sorvete. Se forem trocados R$ 100, o prêmio é um milk shake.

“O proprietário tem que dar um jeito. Vai no banco, em panificadoras para tentar conseguir [o troco]. Porque o cliente diz que a gente tem que ter o troco para dar para eles. O que a gente pode fazer? Tem que dar”, comentou a funcionária de uma lotérica da cidade.

Segundo o Procon, o comerciante tem a obrigação de ter troco e não pode entregar mercadorias no lugar. Quem passar por essa situação deve entrar em contato com o órgão e dependendo do caso a empresa pode até ser multada.

Fonte:
Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não a do Portal do Amaral. Compartilhe suas opiniões de forma responsável, educada e respeitando as opiniões dos demais, para que este ambiente continue sendo um local agradável e democrático. Obrigado.