logo

Amigos e parentes fazem manifestação a favor de criança separada da mãe

A página criada para apoiar o menino no Facebook já conta com a participação de mais de 141 mil pessoas

Em solidariedade ao menino de 6 anos que se desesperou ao ser separado da mãe por ordem judicial, moradores do Distrito Federal se reúnem desde ás 12h em frente ao Fórum do Riacho Fundo. A concentração O protesto já conta com cerca de 70 pessoas. Moradores de várias regiões administrativas se sensibilizaram com o vídeo da criança, mesmo sem a conhecer e afixaram cartazes em solidariedade a família, e gritam pedindo justiça. “Justiça errada, Justiça injusta! Queremos decisão mais justa!”.

Os manifestantes são na sua maioria de mães que participam de grupos em redes sociais. À medida que pedestres se aproximam do local, elas os convidam para dar coro ao protesto. Carros que passam pela região neste momento, buzinam em apoio.

No vídeo, gravado pela amiga da família, Sarah Almada, 34 anos, a criança suplica ao homem para ficar com a mãe, que o abraçava no momento em que a audiência acabou. “Por favor, tio. Eu não quero ir. Vou ficar com a minha mãe”, dizia o menino desesperado. “Eu não gosto de lá”, continuou.

Veja o vídeo:

O tio a quem a criança se refere, é Rafael Souza, 31. Ele postou em sua rede social na manhã de hoje um agradecimento a todos que estão ajudando na campanha para tentar trazer o garoto de volta para os braços da mãe. O texto publicado por ele afirma que ainda na noite de quinta-feira a mãe tentou contato com o filho e o pai não lhe deixou ouvir a criança. “Infelizmente ele foi levado pelo pai naquele momento e desde então não conseguimos falar com ele, tentamos por telefone e Whatsapp, o pai bloqueou a mãe no aplicativo. Ainda na quinta à noite, a amiga da mãe, Sarah Almada tentou contato e o pai falou que o menino está bem. E mesmo a mãe implorando pra ouvir a voz do filho e falar com ele o pai não permitiu, alegando que teria que consultar o seu advogado.

O irmão de Rafael, Israel Teixeira,Segurança, 27, foi ao protesto e contou que conheceu o menino em janeiro, passou uma tarde com ele no shopping e em casa. Segundo Teixeira a impressão que se tem é de uma criança muito traumatizada. “A gente estava na casa do meu pai e, lá, a janela dá acesso a rua. Quando passou uma moto, veículo que o pai tem, na avenida, o Samuel se assustou, desceu do banco onde estava sentado, foi recuando, recuando, até encontrar meu irmão e abraçá-lo. O Rafael tentou acalmá-lo, repetindo que não era o pai dele na moto, até que ele ficou tranquilo”.

Na descrição do evento, a idealizadora faz um apelo aos internautas. “Precisamos ajudá-lo de alguma forma! Estamos de coração aberto e queremos o melhor para ele”. A manifestação acontece um dia depois de um vídeo circular na internet com imagens da criança sendo retirada do colo de um homem e entregue ao pai, após audiência realizada no Fórum da região administrativa. O Juiz Edmar Ramiro decidiu devolver a guarda ao pai, que vive em Capivari, interior de São Paulo.

O nome dos pais e da criança foram mantidos em sigilo em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente. 

___

Parceiros:

Par_02

Fonte:
Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não a do Portal do Amaral. Compartilhe suas opiniões de forma responsável, educada e respeitando as opiniões dos demais, para que este ambiente continue sendo um local agradável e democrático. Obrigado.